Pão em Casa

Por conta de um amigo muito especial que já virou anjo, comecei a fazer algo que minha avó <3 (que quase não pude conviver) fazia e me apaixonei. A ideia era simples: estava morando num lugar sem padaria e ganhei uma máquina de pão.

Fui fazendo as receitas do livrinho, entendendo algumas dinâmicas da construção delas e um dia, testei uma receita que não deu certo. Talvez as proporções estivessem erradas ou algo do gênero. O pão cresceu demais e não iria assar na máquina. Ali o primeiro desafio: tirar a receita da máquina, sovar novamente e dividir em formas para assar no forno convencional.

Não só deu certo como um clic aconteceu. A máquina ajudava mas limitava.

 

Adiante, por conta da volta do mundo da cerveja artesanal na minha vida, comecei uma pesquisa, em todos idiomas que pude, para elaborar uma receita de pão de malte, que é o da foto acima.

Entrei de cabeça nos pães, e fui testando cada receita. Observando tudo, anotando e conhecendo cada vez mais as reações e funções de cada ingrediente na receita. Fui parar em SP na escola Levain, em dupla jornada para cursar Oficina de Pães Básico com Pedro Calvo e o ainda o Curso de Fermentação Natural com o Rogério Shimura. E as oficinas foram incríveis. Me fizeram reconstruir minhas receitas e processos.

Fazer pão é muito mais que seguir uma receita. É colocar tua energia em algo que acolhe e traz conforto.

Faça pão em casa! Ou compre pães artesanais 🙂